Joana Schreyer

Joana Schreyer recorda tentativa de abuso sexual que sofreu com apenas 12 anos na 'Curva da Vida'

07 Novembro 2022
Deslize para ler mais
07 Novembro 2022

Esta noite, 6 de novembro, Joana Schreyer foi a grande protagonista da ‘Curva da Vida’. A jovem do Seixal abriu o coração e recordou os momentos que mais marcaram na sua vida até ao momento.

Joana começou por recordar a separação dos pais quando tinha apenas 7 anos: “É duro, mas desde que os meus pais se separaram, que o meu pai me liga todos os dias às 22h da noite“.

Aos 12 anos, Joana sofreu um episódio traumático, que ocorreu num campo de campismo, onde foi vítima de uma tentativa: “Havia sempre um senhor que nos oferecia bolachas, fica a ver-nos brincar. E há um dia em que eu estou a brincar com os meus irmãos no parque infantil e ele disse-me para eu esconder atrás da tenda dele. Lembro-me de ele se colocar atrás de mim e de me tocar“. “A sorte foi eu conseguir fugir. Eu fui tocada intimamente“, confessou Joana.

A concorrente recordou de seguida a violência psicológica que sofreu por parte do padrasto: “Ele deixou de ser uma pessoa tão afável. Criticava-me muito, ofendia-me, humilhava-me, humilhava a minha mãe. Foi ele que me estragou. Foi ele que me tirou toda a minha confiança, foi ele que me tirou toda a minha auto-estima. Eu queria que ele desaparecesse“. “Eu comecei, na altura, na escola, a ter ataques de pânico, deixei que me conseguir olhar ao espelho“, acrescentou.

Joana Schreyer prosseguiu ao recordar o seu primeiro amor, aos 19 anos, “Não foi uma relação fácil. Começou com duas traições“. No mesmo ano, a jovem perdeu uam das pessoas mais importantes da sua vida, o seu avô: “É a pessoa que me faz mais falta. Tenho muitas saudades. Ele foi sem dúvida o homem da minha vida“.

Os dissabores não ficaram por aqui, pois Joana passou por mais uma traição, num outro relacionamento: “Há um dia que ele me diz que precisa de tempo. Eu pensei ‘ a culpa é minha, eu não fui boa suficiente’. Na verdade, ele tinha outra pessoa“. “Senti-me completamente humilhada. Deixei de comer, deixei de dormir. Eu entrei num buraco sem fundo

Artigo seguinte